Breaking News

Quase 400 pessoas foram atendidas na Ouvidoria nos Bairros realizada em Narandiba neste final de semana


A 33ª edição da Ouvidoria nos Bairros aconteceu neste domingo (07), em Narandiba, com a participação expressiva da comunidade e um grande número de serviços gratuitos disponíveis para a população. Ao todo, 377 atendimentos foram realizados, com a presença de médicos, dentistas, fisioterapeutas e etc.

Todas as Secretarias da gestão participaram da Ouvidoria nos Bairros, com seus stands específicos. A Guarda Civil Municipal e o SSAE também se fizeram presentes. Com a abertura da consulta pública para elaboração da Lei de Diretrizes Orçamentárias, a Secretaria de Planejamento (SEPLA) aproveitou a oportunidade para fazer uma escuta ativa a fim de colher informações dos cidadãos e da comunidade para elaboração da LDO 2025.

Dentre os serviços disponíveis em Narandiba, foram realizados atendimentos médicos e odontológicos, vacinas de rotina, atendimento preventivo, aferição de pressão arterial e de glicemia, orientação nutricional, quiropraxia, massoterapia, atendimentos de estética, sorteio de cursos profissionalizantes e muito mais. A Ouvidoria nos Bairros ainda contou com as parceirias da iniciativa privada,  como a Escola Técnica CETTAS, que está conosco desde o início, a Faculdade Santo Antônio, o Laboratório Lupi, o fisioterapeuta Dr. Juliano, a Clínica Funcional, a Microlins, a esteticista Fernanda Ribeiro e a Drogaria São Paulo, entre outras.

“Nós ficamos muito felizes em ter essa gama de parceiros de qualidade conosco”, expressou o Ouvidor Municipal David Ribeiro, acompanhado do prefeito Joaquim Neto e da deputada estadual Ludmilla Fiscina, que acompanharam de perto a ação e aproveitaram a ocasião para se reunirem com líderes comunitários.



De acordo com o Ouvidor Municipal, um dos objetivos do programa itinerante é cumprir a Lei de Acesso à Informação (Lei nº 12.527, de 2011). A Ouvidoria é o órgão responsável pela lei de defesa do usuário de serviço público, Lei nº 34660-18, com a principal missão de acolher as demandas do cidadão e da comunidade em geral, sendo pessoa físico ou jurídica, “para analisar, enviar as necessidades registradas para as Secretarias ou Autarquias competentes e, dentro dos prazos estabelecidos na lei, devolvê-las em forma de resposta para o cidadão que fizer o seu registro”, explicou David Ribeiro.

O Ouvidor ainda complementou que o órgão é um instrumento de participação efetiva, promovendo uma mediação oficial entre as reivindicações da população, sejam elas de qualquer tipologia: denúncia, elogio solicitação ou reclamação, com a finalidade de cumprir o preconiza a lei.