Breaking News

O 'cad├íver' misterioso falou­čś▒­čś▒

A Pol├şcia Militar de Jacinto, cidade do Vale do Jequitinhonha, quase na divisa com a Bahia, foi acionada na noite de s├íbado (29/5) para remover um cad├íver que havia sido desovado ├á beira de uma estrada de terra, no meio do mato. O cad├íver era de um homem pardo, que vestia cal├ža jeans azul e camisa polo, verde. Entretanto, a hist├│ria teve um final bem inusitado.

Um casal que passava de moto pela estrada, no breu da noite, viu o 'cad├íver' na beira da estrada, quando o farol da moto iluminou o corpo inerte. Como no local n├úo havia sinal de celular, o casal seguiu at├ę o Centro de Jacinto e avisou aos policiais que havia descoberto o ponto de desova em Jacinto.

Os policiais seguiram rapidamente ao local indicado e confirmaram a den├║ncia. De fato, havia um corpo no mato, ├á beira da estrada. Por├ęm, eles 'estranharam' o fato de o 'corpo' ainda estar respirando. E roncando.

A miss├úo dos policiais se limitou a "ressuscitar" o homem. Tocaram no corpo e o chamaram. Era Edgar Pedrosa, conhecido na cidade como “Diga”, cidad├úo pacato, que gosta de tomar uma cachacinha de vez em quando.
A hist├│ria de “Diga”, que pareceu ser tr├ígica para o casal que avistou o 'corpo' na estrada, tornou-se c├┤mica e divertiu os moradores de Jacinto, que j├í o conhecem de longa data. Depois de ser encontrado na beira da estrada e pegar carona na viatura policial, ele n├úo foi mais visto pelas ruas.

"Deve estar por a├ş", disseram os funcion├írios da C├ómara Municipal de Jacinto e da Casa Paroquial, atestando que “Diga” ├ę boa pessoa, que trabalha fazendo servi├žos gerais e sempre recebe ajuda de v├írias pessoas, por meio de campanhas da igreja, mesmo com a advert├¬ncia feita pelo Papa Francisco aos brasileiros, que para sua Santidade, "n├úo t├¬m salva├ž├úo, por causa de muita cacha├ža e pouca ora├ž├úo".

Mas "Diga", contrariou o Papa Francisco e mesmo bebendo cacha├ža, teve a sua salva├ž├úo na noite de s├íbado, com o resgate na beira da estrada, no breu da noite.
Por betonews fonte, Correio Brasiliense
 

Nenhum comentário